O lado Pantone de Bruxelas

hhh

Saguão do hotel visto de fora. Colorindo Bruxelas!

Uma vez eu estava navegando na internet (que expressão mais idosa) e encontrei um post com um texto que falava sobre um determinado hotel bastante curioso. Era um hotel temático. E se chamava Pantone Hotel!

Claro que eu, por ser designer, achei aquilo fantástico. Não quero dizer que todos os designers sejam bobos como eu. O que quero dizer é que, se eu não fosse designer, talvez esse hotel passaria batido e eu nem me interessaria em abrir o link que levava ao tal post sobre o inusitado estabelecimento.

Quando planejei minha viagem de trem pelo Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo), considerei hospedar-me nesse hotel, por pura atração física.

hhh

Cada andar, uma cor tema e uma paleta.

O conceito da sua decoração é ser toda inspirada no famoso sistema de cor, o Pantone. Para quem não sabe, esse sistema é usado na indústria gráfica e tem como objetivo servir de referência aos designers e produtores gráficos na hora de se definirem as cores que seus produtos e peças gráficas devem exibir. É uma espécie de receitinha de cor a fim de que os profissionais que vão executar o projeto saibam exatamente como obter as cores definidas pelo designer. Existem catálogos e mais catálogos de cores, com as mais variadas nuances. E cada cor tem um código. E é nisto que se baseia o design de interiores do hotel, que se situa em Bruxelas, na Bélgica.

Cada andar tem uma cor diferente. E, dentro de cada quarto, os objetos de decoração e os móveis seguem o padrão do conjunto de nuances da cor tema do quarto ou, melhor dizendo, a paleta de cores do projeto de design do ambiente.

Logo que eu cheguei e fui fazer o check in, o recepcionista me pediu os documentos e a reserva, claro. Mas a pergunta seguinte que ele me fez foi: “Qual a sua cor preferida?” Ao que eu respondi, sem titubear: “Verde!”

De fato esta é uma questão bastante relevante no Pantone Hotel. No entanto, os quartos de cor verde estavam todos ocupados. Por isso, ele tornou a me perguntar: “Qual é a sua segunda cor favorita?” E eu lhe disse: “Lilás!” E lá fui eu me acomodar no quarto lilás.

hh

Minha segunda cor preferida: lilás! Ou “violet”!

hhhh

Quadrinhos enfeitam o quarto. Lilás e cores afins.

O saguão do hotel exibia vários produtos Pantone, dessa coleção que virou moda nos últimos anos, em que o produto é colorido de uma cor chapada (ou seja, lisa) e traz, com a tipografia característica do catálogo, o código da cor em questão. Eram canecas, cadeiras dobráveis, bicicletas. Essas coisas.

E os quartos tinham embalagens de xampu e sabonete com rótulos seguindo esse mesmo conceito visual. E o papel higiênico? Branco? Não. No meu caso o papel higiênico era azul. Além de todos esses gracejos, o quarto era muito confortável e o banheiro, limpo e espaçoso. E a simpatia dos funcionários era a cereja desse bolo colorido. Recomendo!

hhh

Um mimo. :-)

hhhh

Minhas cores preferidas!

hhh

Inusitado.

hhh

Quero!

Veja mais:

*site oficial do Pantone Hotel

*site oficial do sistema Pantone

Como eu disse que sou designer, aqui está meu portfólio. Uma informação razoavelmente compatível com este post: www.adrianarivas.br22.com

 

Gostou?

2 ideias sobre “o lado PANTONE de BRUXELAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *