Arquivo da categoria: dia a dia

Há um tempo, eu lamentei o fato de elas terem desaparecido. Eram apenas lembranças de uma infância vivida nos anos 80. Que bichinhos graciosos, com suas carapaças vermelhas crivadas de pontinhos pretos! Insetos que traziam, com as suas presenças, encantamento e alegria. Algo bastante difícil para um inseto, convenhamos. Principalmente nas cidades, onde os principais exemplares estão associados à sujeira. Sujeira gerada por nós, diga-se de passagem. Fiquei me sentindo mal agora. Pobres das baratas!

Alguns, para não dizer todos que me conhecem, já devem ter percebido que eu adoro joaninhas. E, de alguma forma, parece que elas vêm me seguindo por onde eu vou. Nem sempre foi assim, mas um dia desejei que elas voltassem a aparecer. E não é que aconteceu? A primeira, aliás, veio ao meu encontro em Gizé, no Egito. Estava eu no ônibus da excursão, quando surge uma pequenina no lado de dentro da janela. Um pouquinho mais achatada do que eu esperava para uma joaninha e com as pintinhas um tanto sobressaltadas, como em um ligeiro alto-relevo. Zás! Capturei aquele momento numa foto. Era um marco na minha nova fase. Não sei qual fase, mas uma fase com joaninhas, ah, isso era!

CONTINUA…

o lado FÁCIL de ECONOMIZAR


Um traço importante da minha personalidade é saber economizar. Sou aquela pessoa que sempre pensa antes de comprar alguma coisa. E, uma vez tomada a decisão por adquirir algo novo, pesquisa preços em diferentes lugares. Alguém mais é assim?

Pois muito bem. Dia desses conheci um site que ajuda muito a economizar. É o cupomvalido!

Se você tem em vista fazer alguma compra pela internet, vale dar uma olhada no site. É certeza de que vai encontrar um cupom de desconto para o que você deseja. A variedade é imensa: livros, viagens, sapatos, eletrodomésticos, roupas, comida, supermercado e mais.

E como funciona? Simples! Dou um exemplo:

CONTINUA…


O lado livraria de um restaurante.

Lupe no colo de Mamãe :-)

Com a companhia da cachorrinha Lupe para lá e para cá, o leque de opções olfativas dessa mascotinha aumentou consideravelmente. E nós, seus acompanhantes, também tivemos que farejar alternativas de lugares aonde ir para almoçar, por exemplo.

Um dos restaurantes mais legais que existem em Madri e que permitem a entrada de cachorros é o “El dinosaurio todavía estaba allí”. Já começa pelo nome, que eu achei o máximo. Procurando na internet, soube que faz referência a um micro conto do escritor guatemalteco Augusto Monterroso. Como trata-se de um micro conto, posso transcrevê-lo agora mesmo, sem problemas:

“El dinosaurio

Cuando despertó, el dinosaurio todavía estaba allí.”

FIM :-)

Ao chegar lá, percebe-se que o local é cheio de estilo. Estantes feitas com papel corrugado e repletas de livros encantam o ambiente. E, claro, alguns dinossauros também marcam presença.

Mas nome bonito e decoração estilosa não enchem barriga, né? E a comida é uma delícia!

CONTINUA…


O lado prático de viajar com cachorro em avião.

Lupe eu com tulipas na Holanda.

No parque Keukenhof, em Lisse, na Holanda.

Tenho uma grande amiga que mora com minha grande Mamãe, no Brasil. A vinda da minha mãe a Madri era algo já muito desejado há bastante tempo. Quando houve a oportunidade, decidimos que Lupe, essa grande amiga minha, viria também a Madri com a nossa querida Mamãe.

Lupe é uma cachorrinha yorkshire terrier. É pequenina e muito atenta e carinhosa. As coisas de que ela mais gosta de fazer são: passear, cheirar todas as pedras, postes, manchas pelo caminho, fazer quinhentos xixis, fazer festinha para praticamente todos os humanos que encontra, tomar aguinha de coco, comer pedacinhos de banana e ficar grudada na Mamãe. Essa Mamãe é a minha mãe. Mamãe é o nome da minha mãe para Lupe, meu irmão e eu.

Por isso, nada mais coerente que ela viesse também a Madri. Lupe entende muitas coisas, mas ela não sabe compreender o que é um dia, um mês ou dois meses. Como houve pessoas que saíram de casa e nunca mais voltaram (não estou me referindo a mim), por que deixar a bichinha apreensiva, em casa, enquanto a Mamãe viaja durante dois meses? Mesmo sabendo que ela seria muito bem cuidada pelo meu irmão, decidimos que Lupe viajaria de férias com a Mamãe. Continue reading “o lado PRÁTICO de VIAJAR COM CACHORRO EM AVIÃO” »


O lado thriller de um lanchinho.

Estava eu tranquilamente dentro de um Starbucks, em Madri, enquanto tomava uma xícara de café (uma piscina de café, cá entre nós) e saboreava um delicioso cookie verde de pistache.

Eu tinha acabado de chegar e a minha intenção não era só merendar, mas também escrever um pouco. Não sei por quê, mas muitas vezes gosto de fazê-lo com o burburinho de uma cafeteria em volta.

Tirei da bolsa o celular e o coloquei em cima da mesa. Tirei a tablet da bolsa também e a liguei para acessar o WordPress. Tudo isso bem sossegadamente.

De repente, escuto uma moça gritar algo que não me lembro, mas que a fazia soar meio desesperada. Continue reading “o lado THRILLER de UM LANCHINHO” »


O lado inusitado de um fotógrafo.

Entrada à exposição.

Em Madri existe um centro cultural que eu adoro. É o CaixaForum, gerido pelo banco La Caixa.

A primeira coisa que chama a atenção é o imenso jardim vertical que dá vida à parede do seu pátio externo. Trata-se de uma fachada coberta de plantas e, em algumas temporadas, flores. Vez por outra, passo por ali no momento da rega e é bem simpático de se ver.

Mas não era sobre isso que eu vim aqui escrever.

Dia desses, estive lá para ver uma exposição que me pareceu muito interessante. Chama-se “¡Sorpréndeme!”, sobre o fotógrafo Philippe Halsman. Um belo de um banner com a diva Marilyn Monroe saltando é o convite para entrar no centro cultural e conhecer e admirar a obra de Halsman.

A vida do fotógrafo americano e de origem judaica já começa bem inusitada. Para início de conversa, Continue reading “o lado INUSITADO de UM FOTÓGRAFO :: Philippe Halsman” »


Os vários lados do churro.

Três churros, fininhos, com uma xícara de chocolate.

Estes são os churros espanhóis: fininhos e acompanhados de uma xícara de chocolate quente.

Bastante popularizado no Brasil pelo seriado mexicano Chaves, o churro é originário da Espanha e de Portugal. Ao que parece, a ideia do churro veio da China, mas tratava-se de uma massa esticada e não extrudada, como é o caso do nosso conhecido. É considerado um doce, mas a sua massa, na verdade, é até salgada, tendo, como ingredientes, água, farinha de trigo e sal. O sabor doce fica por conta do açúcar que se salpica por fora e do chocolate quente que habitualmente se toma para acompanhá-lo.

No Brasil, o churro é comumente chamado de churros. Ou seja, mesmo quando é um só, dizem “o churros”. O curioso é que, no Brasil, o churro é consumido unitariamente. Já na Espanha, Continue reading “os VÁRIOS lados do CHURRO” »