O lado Brincalhão de Salamanca

Céu azul e um enquadramento de baixo para cima do ângulo reto entre duas paredes de um pátio interno. Vê-se uma nuvem que eu acho que tem forma de burro.

Até a nuvem é brincalhona. Impressão minha ou está com forma de cavalo orelhudo?

Além das conhecidas e badaladas Madri e Barcelona, há uma série de outras cidades na Espanha para se conhecer. Já escrevi sobre algumas delas aqui. Ou, melhor dizendo, algumas delas já foram cenário para histórias que vivi e contei neste blog.

A maioria das pessoas sempre prefere conhecer os grandes centros. O que é natural, até pelo fato de, para as grandes urbanizações, haver voos diretos ou, simplesmente, haver voos. Sim, porque há destinos incríveis aonde não se chega com avião. Mas vale prestar mais atenção a outros locais também interessantes e que estão fora do lugar comum. Muitos são acessíveis através de trem, por exemplo.

Vista do alto da cidade. Muitos edifícios históricos e com telhado e cor alaranjada. O céu azul mas com nuvens espaçadas.

Colegio Mayor de Santiago.

Salamanca. ¿Os suena? Quem já estudou Espanhol certamente já ouviu falar da cidade onde se situa a Universidad de Salamanca, a mais antiga da Espanha. Mas, para além de ser uma cidade universitária, Salamanca é uma caixinha de surpresas. Quando estive lá, em 2009, me perdi em tantos detalhes que a sua arquitetura tem. A começar pela própria universidade.

Formada por diversos edifícios, a universidade possui um, em particular, que atrai olhares atentos. É o prédio Escuelas Mayores, no Patio de Escuelas, onde acontece a maior concentração de turistas. Sua fachada, repleta de elementos figurativos talhados em pedra proporciona aos visitantes um desafio no estilo “Onde está Wally?”.

Sim! O objetivo é encontrar, naquela coleção de imagens, uma rã sentada em uma caveira. Poderia ser outra coisa? Poderia. Aliás, sem dúvida se encontram mil e uma coisas até bater os olhos na procurada rãzinha. Mas a questão é que achar dito bichinho faz parte de uma tradição bem antiga entre os universitários.

Diz a lenda que o estudante que vir a rã na fachada será aprovado nos exames. Caso contrário, acho que não adianta nem estudar. Isto sou eu que estou dizendo. Pela lógica da superstição, faz sentido esta minha conclusão.

Combinação de duas fotos. Na da esquerda se vê a fachada do edifício da Escuelas Mayores com muitos turistas procurando a rã. Eu estou lá. Na da direita, estou eu comemorando por ter encontrado a rã.

Onde está a rã? Onde estou eu? E, na foto da direita, comemorando o achado no Patio de Escuelas.

Ainda nesse tema de figuras esculpidas em fachadas, há o caso do famoso astronauta da Catedral Nueva de Salamanca. Esse “nueva” não quer dizer que ela seja nova. Algum dia ela foi, certamente. Mas para nós, uma catedral do séc. XVI (terminou de ser construída no séc. XVIII) é tão antiga quando a Catedral Vieja de Salamanca, que é do séc. XII (terminou de ser construída no séc. XIV). Viva a relatividade!

Pois bem. Na Catedral Nueva, há nada mais nada menos do que um belo de um astronauta entre inúmeras esculturas que revestem a sua fachada. Estamos falando de uma catedral que foi erguida e decorada entre os séculos XVI e XVIII. Naquela época não havia astronautas. E a presença dessa figura foi um prato cheio para os amantes das teorias mais fantásticas. Extraterrestres? Viagem no tempo? Vidência sobre o futuro? Confesso que gostaria que uma das extravagantes conjecturas de fato fosse a resposta para o mistério. Mas não.

Uma combinação de três fotos. Em cada um está enquadrado um detalhe da fachada da Catedral Nueva. Vêem-se, entre outras figuras de pedra, um touro, uma lebre, uma cegonha, uma lagosta.

Encontre o boi. Encontre a cegonha. Encontre a lagosta. Encontre a lebre. Vou inventar lendas novas!

Detalhe da fachada da Catedral Nueva onde se vê o astronauta.

Eis o famoso astronauta!

Ocorre que, durante alguma das obras de restauração da catedral, a equipe fez esse gracejo, colocando o astronauta lá. Há quem diga que foi uma homenagem à época moderna, incluindo-se assim, um elemento representativo da nossa época. Mas não sei não, heim! Aliens?

Nesta foto aparece um pouco mais da fachada da Catedral Nueva.

A fachada da Catedral Nueva. Dá pano pra manga!

A Catedral Vieja ao longe.

As catedrais de Salamanca vistas da Ponte Romana.

A ponte vazia e um céu azul com nuvens bem cheias e brancas.

Ponte Romana. Ponte com ponto de fuga. Agora repita rápido.

Para quem quiser ir de alguma cidade da Espanha para Salamanca:

. Site da Renfe, empresa ferroviária espanhola

Sobre turismo em Salamanca:

. Site oficial de turismo

Gostou?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *