O lado pouco prático de uma balinha.

Foto de duas balas gigantes. Cada uma tem em torno de 10 x 5 cm.

As curiosas balinhas. Uma sabor limão e a outra, morango.

Está aí uma coisa que eu nunca imaginei ver. Não que seja uma coisa de outro mundo. Não. Afinal há de tudo neste mundo. Mas nunca me passou pela cabeça fazer uma bala do tamanho de um ladrilho. Sim, isso existe. Chama-se Adoquín del Pilar e tem o formato e o tamanho de um paralelepípedo de calçada.

Essa singela balinha é típica de Zaragoza, na comunidade autônoma de Aragón e pode chegar a ter 1 kg. Os meus têm, cada um, 80 g “somente”. Na verdade, sua origem está na cidade de Calatayud, onde o doceiro Manuel Caro Gormaz, em 1920, teve a ideia de fabricar essa bala gigante. A consistência é de drops, ou seja, não preciso dizer que é impossível de ser mordida. A maneira de consumi-la é quebrá-la com um martelo ou chupá-la dias e dias. Fico me perguntando se, ao dar marteladas no doce, os pedaços que se formam podem vir a ter cantos pontiagudos ou não.

Foto das duas balas sem as embalagens.

E pensar que há maiores!

Foto da bala com a poesia impressa no lado de dentro da embalagem.Hoje em dia, há adoquines pequenininhos, do tamanho de… bem, balas normais. Que coisa, não? E até acho simpático, pois foi a primeira bala que vi, de tamanho normal, para qual eu apontei e disse: “Olha, aquelas balas em miniatura!” Imaginem só!

Sendo gigante ou de tamanho normal (naquele caso, mini), o que não muda é o charme da embalagem. Todas têm a imagem de Nossa Senhora do Pilar, padroeira de Zaragoza. Os sabores são variados, tais como morango, limão, laranja, anis. E, para cada sabor, há uma cor que colore a imagem e os outros elementos decorativos da embalagem. Dentro há impressos poemas populares da região.

Mais que um docinho, é um souvenir. Não é à toa que eu tenho dois enfeitando a minha mesa.

Eis a poesia impressa na embalagem do adoquín de limão:

Sale el sol por el Monegros               Sai o sol pelo Monegros

y baña en el Ebro sus rayos,             e banha no Ebro os seus raios,

luego viene a Zaragoza                      então vem a Zaragoza

y se va por el Moncayo.                     e vai embora pelo Moncayo.

 

Ya me despido de ti                            Já me despeço de ti

y te digo hasta mañana,                   E te digo até amanhã,

al llegar la medianoche                     ao chegar a meia-noite

te esperaré en la ventana                te esperarei na janela

 

Lo que siembres en la vida,               O que plantes na vida,

aquello recogerás.                               é o que colherás.

Y la cuchara que elijas…                    E a colher que escolhas…

con aquello comerás.                         com ela comerás.

 

Las flores y los cariños                       As flores e os carinhos

hay que saberlos cuidar,                   Tem que saber cuidá-los,

la flor sin agua se seca                      a flor sem água se seca

y amor sin besos se va.                      e amor sem beijos vai embora.

4 pensou em “o lado POUCO PRÁTICO de uma BALINHA

  1. Daniel Rivas

    Caramba! Cada uma dessas balas é um grande pirulito sem pau! Um tijolão pra construir casa de bruxa!
    Essa imagem que parece Nossa Senhora Aparecida é a Virgem do Pilar, né?
    Gostei também de ver a bandeira da Coroa de Aragão.

    Responder
  2. Maria Cidália de Figueiredo Rivas

    Interessante! Nunca vi uma bala deste tamanho todo. Eu as conhecia do tamanho normal.
    Será que em Itu tb tem balas dessas assim? rs rs rs
    Se tem consistência de drops com certeza ao ser partida a marteladas, os pedacinhos serão pontiagudos como vc imaginou que seriam. Realmente, nada prático.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *