O lado multifacetado da Escócia.

Kilt Rock rocks!

Era outono de 2014. No hemisfério norte, ele começa no final de setembro e vinha chegando para dar uma trégua no calor e colorir as ruas com belos tons avermelhados. De fato, cada estação tem os seus encantos e particularidades. E para aproveitar e se deleitar com esse espetáculo da natureza, um destino altamente recomendável para essa época é a Escócia. E quando digo Escócia, me refiro a diversas cidades.

Edimburgo, a capital, provavelmente é a mais lembrada quando se pensa em território escocês. E de fato é linda, cheia de atrações, movimentada como uma metrópole mas sossegada como uma cidade pequena. Um dos dois castelos mais importantes do país está ali e é o imperdível Edinburgh Castle. Sustentado sobre uma rocha de proporções gigantescas, a edificação que ali repousa exibe ao público um rico conteúdo formado por agradáveis jardins, luxuosos salões, intrigantes acervos militares e ostentosas coleções de jóias. Continue lendo

O lado inusitado de um fotógrafo.

Entrada à exposição.

Em Madri existe um centro cultural que eu adoro. É o CaixaForum, gerido pelo banco La Caixa.

A primeira coisa que chama a atenção é o imenso jardim vertical que dá vida à parede do seu pátio externo. Trata-se de uma fachada coberta de plantas e, em algumas temporadas, flores. Vez por outra, passo por ali no momento da rega e é bem simpático de se ver.

Mas não era sobre isso que eu vim aqui escrever.

Dia desses, estive lá para ver uma exposição que me pareceu muito interessante. Chama-se “¡Sorpréndeme!”, sobre o fotógrafo Philippe Halsman. Um belo de um banner com a diva Marilyn Monroe saltando é o convite para entrar no centro cultural e conhecer e admirar a obra de Halsman.

A vida do fotógrafo americano e de origem judaica já começa bem inusitada. Para início de conversa, Continue lendo

Os vários lados do churro.

Três churros, fininhos, com uma xícara de chocolate.

Estes são os churros espanhóis: fininhos e acompanhados de uma xícara de chocolate quente.

Bastante popularizado no Brasil pelo seriado mexicano Chaves, o churro é originário da Espanha e de Portugal. Ao que parece, a ideia do churro veio da China, mas tratava-se de uma massa esticada e não extrudada, como é o caso do nosso conhecido. É considerado um doce, mas a sua massa, na verdade, é até salgada, tendo, como ingredientes, água, farinha de trigo e sal. O sabor doce fica por conta do açúcar que se salpica por fora e do chocolate quente que habitualmente se toma para acompanhá-lo.

No Brasil, o churro é comumente chamado de churros. Ou seja, mesmo quando é um só, dizem “o churros”. O curioso é que, no Brasil, o churro é consumido unitariamente. Já na Espanha, Continue lendo

O lado milagroso de um embarque na Ryanair

Quem é gente rica igual a mim sabe como é. Gente rica, sabe? Que compra voo da Ryanair para os horários mais gostosinhos, tipo às 6h da manhã. Que relaxa na cabine do avião, naquele espacinho aconchegante que propicia o deleite do calor humano de todo mundo juntinho. Que descansa nesse voo ao som melodioso de anúncios de loterias. Ai, ai… Não há comparação.

Irlanda, Ibiza e Escócia: alguns dos lugares aonde fui pela Ryanair!

E como não incluir nesse pacote de benefícios o suspense emocionante que se faz presente naquele espaço de tempo em que você aguarda o veredicto sobre se a sua mala passará pelo crivo do fatídico gabarito ou não? Aquele momento antes do embarque, em que todos os passageiros têm a oportunidade quase única de exercitar a sua criatividade, seja vestindo um casaco e amarrando outro na cintura, usando duas calças ao mesmo tempo, exibindo no pescoço dois cachecóis ou escondendo a bolsa a tiracolo por baixo do sobretudo. É uma coisa bonita de se ver. Quando a humanidade quer, ela sabe como se superar.

Pois bem. Certa ocasião, em uma das vezes em que viajei pela Ryanair, estava eu Continue lendo

[para comer] ALFAJOR DE AVEIA

Um alfajor coberto com chocolate branco e partido ao meio, sendo visível o seu recheio. Atrás está um bela caneca com estampa de papoulas.

Não sei o que é mais bonito. Se o alfajor ou a caneca. :-) Visite a lojinha!

Essa delícia muito popular na Argentina ganhou uma versão de aveia. E por quê? Simplesmente porque eu quis. Como muitos devem saber, a aveia tem glúten, assim como o trigo. (A aveia naturalmente não tem glúten. Mas muito provavelmente qualquer aveia que se compre terá glúten devido a ser trabalhada nas mesmas máquinas que o trigo, por exemplo.) Então este alfajor tem glúten sim. Mas já que consumimos farinha de trigo a torto e a direito todos os dias, acho que vale dar uma variada, mesmo que não se seja alérgico a essa proteína. E, olha, ficou mais gostoso do que os alfajores tradicionais. Pelo menos para o meu gosto. Continue lendo

O lado nudista de Barcelona

Era relativamente comum ouvir falar da ocorrência de pessoas nuas em Barcelona, quando comecei a morar lá, na temporada de 2008/2009. “Gente pelada na cidade era assunto de rodinha de amigos, Adriana?” Não foi isso que eu quis dizer. O “relativamente” não foi usado à toa aqui.

Antes de ir morar em Barcelona, o tema em questão não estava presente na minha vida cotidiana em nenhum grau, em Niterói ou no Rio. E, sabe-se lá por quê, quando passei a ser moradora daquela cidade, não é que o assunto fosse muito frequente, mas ele passou a existir.

Logo nos primeiros dias, ao me encontrar com uma amiga minha, também brasileira, que conheci pela internet, fiquei sabendo que ela tinha visto, não fazia muito tempo, um homem pedalando uma bicicleta completamente nu.

As torres (pináculos) do templo da Sagrada Família, entre uns ramos de uma árvores.

Esta é a Sagrada Família, atrás de uns ramos de árvores.

Continue lendo

O lado turístico de Bruxelas

Close nas flores de um mercado temporário na Grand Place. o fundo se vê um pouco da arquitetura do local.

Mercado de flores alegra a Grand Place!

Bruxelas não costuma figurar nas listas de principais destinos de viagem. Isto é um tanto injusto. A cidade, capital da Bélgica, é muito gostosa para ser visitada. Suas ruas e praças são cheias de encanto. A parte antiga é composta de edifícios de arquitetura medieval, tendo a cidade começado a se formar a partir do século X.

A Grand Place, principal praça de Bruxelas, é uma jóia a ser admirada. É a praça central dali, como existem, na Espanha, as plazas mayores”. Se querem saber a minha opinião, esta é a praça central mais bonita que já vi. Para chegar até lá, passa-se por muitas ruas estreitas. E, quando finalmente a pessoa se depara com aquele espaço relativamente amplo, cercado de fachadas ricamente elaboradas em pedra, é impossível não extasiar-se. Continue lendo